Google pode lançar nova tecnologia para rastrear navegação de usuários

O Google, maior empresa de publicidade online do mundo, pode abandonar a utilização de cookies em virtude um sistema próprio para rastrear dados de consumidores. De acordo com uma matéria publicada no The Wall Street Journal, a empresa norte-americana estaria em vias de trocar para um protocolo in-house, que atribuiria a cada usuário uma “identificação única e anônima”.

Utilizados frequentemente por anunciantes online, cookies são pequenos pedaços de informação enviados por um site e armazenados no navegador dos usuários. Por meio dos dados que eles oferecem é possível rastrear o histórico de navegação dos consumidores, auxiliando os comerciantes a exibir anúncios mais relevantes.

Com esse tipo de postura, o Google poderia tornar mais difícil para os anunciantes obterem conhecimentos sobre os compradores. Entretanto, um sistema que mantém informações individuais dos usuários ao longo do tempo pode vir a gerar novos insights sobre como as pessoas consomem produtos e mídia online. Confirmando-se esse cenário, as empresas provavelmente terão de optar entre: continuar usando a informação proveniente dos cookies ou pagar ao Google para ter acesso ao seu mais novo e detalhado sistema de dados.

À medida que a privacidade online se tornou um assunto de suma-importância, muitos usuários têm demonstrado exacerbada frustração com a possibilidade de terem seus comportamentos online monitorados por cookies. Tal aversão a esse sistema de data gerou movimentos como o “Do Not Track”, uma alternativa de permitir que as pessoas escolham como seus dados são usados. Alguns navegadores já disponibilizam maneiras de impedir esse tipo de “invasão”: em 2003 o Safari passou a bloquear os cookies naturalmente; a Microsoft recentemente acrescentou um recurso de “do-not-track” ao Internet Explorer; e o Mozilla pretende fazer o mesmo com o Firefox em um futuro próximo.

O Google, por sua vez, também tem buscado bloquear cookies em seu navegador Chrome nos últimos anos, e acredita que esse novo sistema pode ser considerado como uma forma de proteger a privacidade do usuário e manter os anúncios relevantes, conforme detalhou uma porta-voz da empresa: “Acreditamos que as inovações tecnológicas podem melhorar a segurança dos usuários, ao mesmo tempo em que assegure a Internet como um ambiente economicamente viável”, ressalta.

Fonte: Ecommerce News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top